História do Agrupamento 46

Decorria o ano de 1971, quando o Chefe Paraíso, residente em Agualva-Cacém há vários anos e contando com a colaboração de outros dirigentes que aqui também residiam (o João Nascimento, o Júlio Figueiredo, o Carlos Alberto e o Gabriel Fernandes), estabeleceu o contacto com o Pároco da altura, Pe. Rodrigues Alves, no sentido de se fundar um Agrupamento de Escuteiros. Desta iniciativa, nada se concretizou, por não existir na Paróquia nenhum espaço que servisse para sede.


Em 1972, é colocado no Seminário Claretiano, como formador de Seminaristas, o Pe. Álvaro Magalhães Teixeira, que ao se aperceber da falta de estruturas para tempos livres dos jovens da Vila, dialoga com o Pároco, agora o Pe. Alberto Rosado Fileno, sobre o assunto e recebe autorização para contactar a Junta Regional de Lisboa do C.N.E., com vista à formação de um Agrupamento de Escuteiros. A Junta, através do Chefe Paraíso, que a integrava, informou-o sobre a diligência feita um ano antes por si e da falta de espaço para a Sede na Paróquia. A pedido do Pe. Teixeira, o Superior do Seminário, cedeu uma dependência junto à Capela, e o problema foi ultrapassado. Nasceu a Sede e tudo começou.


Em Outubro de 1973, na Capela de Agualva (a Igreja Paroquial) e na Escola Primária do Cacém, que servia para culto aos Domingos, falava-se do movimento escutista e aceitavam-se as primeiras inscrições para Lobitos e Exploradores.


Em 31 de Março de 1974, na Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Consolação, em celebração presidida pelo Pároco, Pe. Rosado, e na presença do Chefe Velez - Chefe Regional de Lisboa - e do Pe. João Alves - Provincial da Congregação Claretiana, fizeram promessas os primeiros membros do Agrupamento. O primeiro foi o Pe. Teixeira. Seguiram-se as Akelás - animadoras dos Lobitos - Lurdes, Tina, a Mitó e a Esmeralda e em seguida os Lobitos e Exploradores. A Direcção do Agrupamento era então constituída pelos Dirigentes Gabriel Fernandes, Júlio Figueiredo, João Nascimento Carlos Alberto Batista e o Pe. Teixeira como Assistente. Havia nesse tempo três Bandos e três Patrulhas.


« Enviado por Gabriel Fernandes »